quinta-feira, 16 de abril de 2015

E tu...

Se um dia chegar nas asas do vento,
ou num bando de andorinhas.
Ficarei escutando os sinos dobrar
As Avém- Marias.
Permanecerei quieta,
olhando a dança das aves.
Porque nesse dia as fantasias,
serão danças ao luar.
Até os versos,
de uma simplicidade estonteante,
serão amores-perfeitos,
no jardim ali defronte.
Porque se um dia chegar,
um caudal de água cristalina,
será a noite dia, o sonho… Quimera.
E tu, entrarás pela porta da alma!

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...