sábado, 4 de abril de 2015

Páscoa

Os ovos, e os coelhos alinhados,
o alecrim. E Jesus admirado!

Tempo de Páscoa, tempo de festa,
e o mundo descai… Que festa esta?

Tempo de Páscoa, ai que saudade.
Da ilusão, da meninice,
 Ai que saudade do fim de festa,
Onde a vontade sobressaísse.

Pintura: Calvário, de Antónia Ruivo.




Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...