segunda-feira, 25 de julho de 2011

Quimeras

Inquietação
que domina
Parece franzina
Na noite calma
O ar que respiro
Relembra o suspiro
Da tarde

Inquietude
Olvidada
Pela mansidão
Do meu coração
Parece traquina
Olhar de menina
Na palma da mão

As noites sugerem anos
 Os anos eras
Num olhar cuidei
Mas de ti não sei
Semeio
Quimeras.

Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...